O que é um fundo de hedge e como investir?

O hedge fund é uma alternativa diferenciada de investimento com ênfase em altas taxas de retorno. Por isso, esses fundos têm despertado o interesse de investidores nos últimos anos.

Mas, apesar da popularidade no mercado, os fundos ainda causam muita perplexidade entre os investidores. Isso porque não há definição para esse tipo de fundo, dificultando a diferenciação entre hedge funds e fundos de investimento em geral.

Para entender melhor essas diferenças, criamos este conteúdo. Assim, você pode saber que tipo de fundo é e como funciona, quem pode investir nele e os principais hedge funds do mundo e os hedge funds brasileiros. Então, confira tudo abaixo!

O que é um fundo de hedge?

Os fundos de hedge também são conhecidos como fundos de hedge ou, em inglês, fundos de hedge. A principal estratégia desses fundos de investimento é proteger os ativos de perdas financeiras e buscar retornos elevados.

Ou seja, são formados de forma privada no mercado de derivativos e aplicados por investidores selecionados. Para ter um retorno superior à média do mercado, os fundos utilizam estratégias mais ousadas que exigem mais conhecimento de seus gestores.

Assim, os investimentos que compõem um hedge fund podem incluir:

  • Operações de day trading com ações;
  • Investimentos em títulos privados;
  • Trocas;
  • Arbitragem de commodities;
  • Até mesmo a aquisição de imóveis e obras de arte.

Eles também podem usar outros instrumentos, como alavancagem, leasing de ativos, venda a descoberto e outros negócios estruturados.

Esse tipo de investimento é considerado de alto risco porque as estratégias adotadas são diferentes dos fundos tradicionais. Para que um fundo seja considerado um hedge fund, normalmente ele possui as seguintes características:

  • Primeiro, maior liberdade para investir e alocar recursos;
  • Gestores e especialistas altamente especializados;
  • Grande volume de operação;
  • Alto patrimônio líquido;
  • Pequena divulgação;
  • Custos operacionais reduzidos;
  • Altas taxas de administração e performance;
  • Foco em aplicações ousadas;
  • Além disso, você precisa ser mais tolerante ao risco;
  • E por fim, baixa correlação com fundos tradicionais.

Fatos do Fundo de Hedge

O nome “Hedge Funds” é histórico, pois os primeiros fundos foram estruturados para proteger contra um mercado em baixa. No entanto, o termo atualmente funciona como um nome genérico para fundos não tradicionais.

Este conceito foi usado pela primeira vez por Alfred Winslow Jones em 1949. Esse investidor comprou ações subvalorizadas e as vendeu a descoberto. Assim, ele poderia se proteger dos riscos do mercado.

No entanto, entre as décadas de 1960 e 1970, os fundos evoluíram para aumentar os retornos e acabaram se afastando da estratégia original de Jones. Os fundos modernos tornaram-se populares nos EUA devido a estratégias mais arriscadas baseadas em alavancagem de longo prazo.

Por razões regulatórias, os fundos de hedge são conhecidos no Brasil como Fundos Multimercados. Apesar do nome, nem todos são fundos de hedge.

Como funciona um fundo de hedge?

Os valores investidos em fundos de hedge são administrados por gestores que buscam diversificar sua utilização. Como regra, os investimentos são feitos em investimentos de alto rendimento.

Embora a principal estratégia seja a proteção contra perdas financeiras, os gestores desses fundos tendem a investir em ativos mais arriscados. Assim, eles obtêm o máximo lucro possível.

Como escolher o fundo de hedge certo?

Para escolher o melhor fundo de hedge, você precisa:

  • Primeiro, determine qual é a estratégia do fundo;
  • Em seguida, analise o histórico do gestor;
  • Compare seus retornos com os de outros fundos da mesma categoria;
  • Logo em seguida, compare os níveis de risco dos fundos;
  • Por fim, verifique a relação risco/recompensa;
  • E uma sugestão: invista até no máximo 30% do seu capital.

Qualquer pessoa pode investir em um fundo de hedge?

Por serem de natureza especial, os fundos de hedge exigem um alto custo mínimo de investimento inicial. Em alguns casos, esse tipo de fundo costuma ser limitado a clientes com carteira superior a R$ 1 milhão.

Outro ponto importante é que esse tipo de fundo costuma ser exclusivo para investidores convidados. Muitas vezes eles não são registrados no Comitê Estadual de Valores Mobiliários (CVM), pois muitos deles são fundos secretos ou não regulamentados.

Benefícios de um fundo de hedge

Proteção

Os fundos de hedge podem fornecer proteção e até retornos positivos, mesmo quando o mercado está em baixa.

potencial de retorno

Os retornos dos fundos de hedge têm sido historicamente maiores do que outros fundos de investimento. Isso se deve à liberdade na escolha de ativos e estratégias de atuação. No entanto, isso também aumenta o risco para o investimento.

gestão profissional

Os gestores desse tipo de fundo devem ser extremamente especializados no mercado, capazes de tomar decisões e realizar análises e monitoramentos.

Diversificação

Os fundos de hedge diversificam as carteiras dos investidores usando diferentes estratégias ou alocando recursos em diferentes ativos.

Desvantagens do Fundo de Hedge

alto risco

Os fundos de hedge podem assumir posições mais especulativas, que também são mais propensas a perdas.

taxas mais altas

Os fundos de hedge normalmente têm uma taxa de administração de 2% e uma taxa de performance de 20%.

liquidez limitada

Ao contrário de outros fundos, o Hedge possui restrições à movimentação dos cotistas. Depósitos e saques só são permitidos mensalmente, trimestralmente ou mesmo anualmente. Além disso, geralmente há um período inicial durante o qual o acionista não pode sacar fundos.

Os maiores fundos de hedge

No mundo

Os 10 maiores fundos de hedge do mundo geraram US$ 1,604 bilhão em lucro líquido desde seu lançamento, dos quais US$ 176,0 bilhões representam ganhos em 2021. Confira-os:

  1. TCI (2004) – desde o lançamento: US$ 36,5 bilhões e US$ 9,5 bilhões em 2021;
  2. Citadel (1990) – desde o lançamento: US$ 50 bilhões e US$ 8,2 bilhões em 2021;
  3. D. E. Shaw (1998) – Desde o lançamento: US$ 43,7 bilhões e US$ 6,4 bilhões em 2021;
  4. Millennium (1989) – desde o lançamento: US$ 42,4 bilhões e US$ 6,4 bilhões em 2021;
  5. Elliott Management (1977) – desde o lançamento: US$ 39,3 bilhões e US$ 6,0 bilhões em 2021;
  6. Bridgewater (1975) – desde o lançamento: US$ 52,2 bilhões e US$ 5,7 bilhões em 2021;
  7. Baupost (1983) – desde o lançamento: US$ 34,7 bilhões e US$ 3,4 bilhões em 2021;
  8. Farallon (1987) – desde o lançamento: US$ 32,6 bilhões e US$ 3,3 bilhões em 2021;
  9. Ponto três (1995) – desde o lançamento: US$ 18,8 bilhões e US$ 3,3 bilhões em 2021;
  10. Egerton (1995) – Desde o lançamento: US$ 25,7 bilhões e US$ 3,1 bilhões em 2021;

Principais fundos de hedge brasileiros

Principais fundos de hedge brasileiros no final de fevereiro de 2022:

  1. Retorno Total de Logos FICFI Multi: +14,97%;
  2. Ver Multistrategia Fc FI Mult: +13,03%;
  3. Mult de FICFI Mar Absoluto: +11,11%;
  4. FIC Ala de Hedge END: +9,21%;
  5. Truxt Long Bias Advisory FIC END: +9,00%;
  6. Concordia Colheita FI Multi: +8,90%;
  7. Vinland Macro 2 FC Mult: +8,75%;
  8. Experiência Macro Plus: +7,63%;
  9. Ibiuna Long Short B Fc FI Mult: +7,40;
  10. XP Investidor Long Biased 30 Fc FI Multi: +6,70%.

Conclusão

Os fundos de hedge são investimentos de alto risco que proporcionam aos investidores diversificação e altos retornos. Isso porque as estratégias de investimento são diversificadas e ousadas, de modo que garantem a equidade mesmo quando o mercado cai.

Você já conhece os fundos de hedge? Conta pra gente o que você achou desse investimento nos comentários!